DIFICULDADES NOS CUIDADOS AO RECÉM NASCIDO: REALIDADES DE PUÉRPERAS PRIMÍPARAS

Autores

  • Sra. Katiuscia Danyla Carvalho Lima Lopes Lopes
  • Sr. Joaquim Guerra de Oliveira Neto Neto
  • Sr. Guilherme Guarino de Moura Sá
  • Sra. Dilma Aurélia de Carvalho Carvalho
  • Sra. Marilza Martins Monteiro
  • Dra. Maria do Carmo de Carvalho e Martins

Palavras-chave:

Relações Mãe-Filho, Comportamento materno, Higiene, Cuidado do lactente, Aleitamento materno

Resumo

Este artigo objetiva avaliar as dificuldades encontradas por puérperas primíparas nos cuidados ao recém-nascido. Trata-se de um estudo descritivo, transversal, com 50 puérperas primíparas do setor obstétrico de um hospital público de Floriano-PI. Todas as participantes do estudo relataram a realização de pré-natal. Quanto às dificuldades relacionadas aos cuidados de higiene e conforto com o recém-nascido, realizar limpeza do umbigo foi referida por 62% das mulheres, dar o banho nos recém-nascidos por 52% das mães, escolher as roupas para o bebê por 46%. Elevada proporção de puérperas (40%) tinha dificuldades para amamentar e em cuidar das mamas (82%). Grande parte das mães tinha dificuldade na realização de cuidados com o recém-nascido. Conclui-se que há necessidade de adequar ações de educação em saúde voltadas ao preparo das mulheres para os cuidados com o recém-nascido.

Biografia do Autor

Sra. Katiuscia Danyla Carvalho Lima Lopes Lopes

Enfermeira graduada pela Faculdade de Ensino Superior de Floriano (FAESF), Floriano Piauí, Brasil. 

Sr. Joaquim Guerra de Oliveira Neto Neto

Especialista em Saúde Pública. Especialista em Obstetrícia e Neonatologia. Mestrando em Enfermagem pela
Universidade Federal do Piauí UFPI. Enfermeiro graduado pela Faculdade de Ensino Superior de Floriano
(FAESF), Floriano P iauí, Brasil. Email: kim_guerra@hotmail.com

Sr. Guilherme Guarino de Moura Sá

Especialista em Saúde Pública. Especialista em Nutrição, atividade física e saúde. Mestrando em Enfermagem pela Universidade Federal do Piauí UFPI. Professor do Ensino Básico, Técnico e Tecnológico da Universidade Federal do Piauí/Colégio Técnico de Bom Jesus, Piauí, Brasil. Enfermeiro graduado pela Faculdade de Ensino Superior de Floriano (FAESF), Floriano Piauí, Brasil. 

Sra. Dilma Aurélia de Carvalho Carvalho

Especialista em Saúde Pública. Especialista em A tividade Física e Saúde. Especialista em Obstetrícia e
Neonatologia. Enfermeira graduada pela Faculdade de Ensino Superior de Floriano (FAESF), Floriano Piauí,
Brasil. 

Sra. Marilza Martins Monteiro

Especialista em Saúde Pública. Enfermeira graduada pe la Faculdade de Ensino Superior de Floriano (FAESF),
Floriano Piauí. Empresa Bras. de Serviços Hospitalares Hospital Universitário da UFPI, Teresina, Piauí,
Brasil. 

Dra. Maria do Carmo de Carvalho e Martins

Doutora em Ciências Biológicas. Professora associ ada do Departamento de Biofísica e Fisiologia. Professora
do Mestra do em Alimentos e Nutrição e do Mestrado em Farmacologia da Universidade Federal do Piauí,
Teresina, Piauí. Professora da Faculdade de Ensino Superior de Floriano FAESF, Floriano, Piauí. 

Referências

ALMEIDA, I. S. et al. Amamentação para mães primíparas: perspectivas e intencionalidades do enfermeiro ao orientar. Cogitare Enfermagem, Curitiba, v. 15, n. 1, p. 19-25, 2010.

ANDRADE, R. D.et al. Fatores relacionados à saúde da mulher no puerpério e repercussões na saúde da criança.Escola Anna Nery Revista de Enfermagem,Rio de Janeiro, v.19, n.1, p. 181-186, 2015.

ARAÚJO, M. F. M., Situação e perspectiva no aleitamento materno no Brasil. In: CARVALHO, M. R., TAMEZ, R. N.(Org.).Amamentação: bases científicas para a prática profissional. Rio de Janeiro (RJ): Guanabara Koogan, 2002.

AZEVEDO, D. S. et al. Conhecimento de primíparas sobre os benefíciosdoaleitamento materno. Revista Rene, Fortaleza, v. 11, n. 2, p. 53-62, 2010.

BENEVITE, K. P. Principais dificuldades encontradas pelas primíparas nos cuidados ao bebê durante o primeiro mês de vida. 2010. 83 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem)-Universidade Feevale, Novo Hamburgo, 2010.

DIAS, E. G. et al. Percepção das gestantes quanto a importância das ações educativas promovida pelo enfermeiro no pré-natal em uma unidade básica de saúde. Revista Eletrônica Gestão & Saúde. Brasília, v. 6, n. 3, p. 2695-2710, 2015.

FERREIRA et al. Conhecimento de mães sobre os cuidados com crianças menores de 1 ano. Revista de Enfermagem e Atenção à Saúde, Uberaba, MG,v.4, n. 1, p. 16-27, 2015.

FRANCISQUINI, A. R. et al. Orientações recebidas durante a gestação, parto e pós-parto por um grupo de puérperas. Ciência, Cuidado e Saúde, Maringá, PR, v. 9, n. 4, p. 743-751, 2010.

GURGEL, A. H.; OLIVEIRA, J. M.; SHERLOCK, M. S. M. Ser-mãe: compreensão dos significados e atitudes de cuidado com o recém-nascido no aleitamento materno. Revista Rene,Fortaleza,v. 10, n. 1, p. 131-138, 2009.

KALINOWSKI, L.C. Vivência do cuidado pela puérpera primípara no contexto domiciliar:olhar da enfermeira. 2011. 141f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem)–Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2011.

LIMÃO, A. R.; BONITO, S. Puérpera primípara nas 48 horas pós-parto: dificuldades nos cuidados ao recém-nascido. 2009. 94 f. Trabalho de Conclusão de Curso(Graduação em Enfermagem) -Universidade Atlântica, Barcarena, 2009.

MALDONADO, M. T. Psicologia da gravidez: parto e puerpério. 14.ed. São Paulo: Saraiva, 1997. MELO, M. C. P. et al. Aleitamento materno e suas particularidades: uma abordagem teórico prática sobre o tema. Enciclopédia Biosfera: Centro Científico Conhecer,Goiânia, v. 6, n. 11, 2010.

PEREIRA M. C. et al. Sentimentos da puérpera primípara nos cuidados com o recém-nascido. Cogitare Enfermagem, Curitiba,v. 17, n. 3, p. 537-542, 2012.

RAFAEL, E. V.; SILVA, R. M.; RODRIGUES, M. S. P. R. O significado da amamentação para a mulher primípara. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem,Rio de Janeiro, v. 9, n. 2, p. 221-228, 2005.

RIBEIRO, J. V. Manual instrucional de atendimento ambulatorial em nutrição pediátrica (Fase I). 2015. 41p. Monografia (Graduação em Nutrição) –Faculdade de Ciências da Saúde, Universidade de Brasília, Brasília, 2015.

SANTOS, S. V.; COSTA, R. Cuidados com a pele do recém-nascido: o estado da arte. Revista de Pesquisa Cuidado é Fundamental Online,Rio de Janeiro,v. 7, n. 3, p. 2887-2901, 2015.

SILVA, L. A. et al. Significados atribuídos por puérperas adolescentes à maternidade: autocuidado e cuidado com o bebê. Florianópolis: Texto e contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 18, n. 1, p. 48-56, 2009.

SIMÕES et al. Influência dos mitos e das crenças nas nutrizes quanto amamentação em uma cidade do vale do Paraíba. Revista Ciências em Saúde, Itajubá, MG, v. 5, n. 3, 2015.

TERRA, D. L. H; OKASAKI, E. L. F. J. Compreensão de puérperas primíparas sobre os cuidados domiciliares com o recém-nascido. Revista de Enfermagem UNISA, São Paulo, v. 7, p.15-20,2006.

Publicado

01.12.2015

Como Citar

Carvalho Lima Lopes Lopes, K. D., Guerra de Oliveira Neto Neto, J. ., Guarino de Moura Sá, G., de Carvalho , D. A. ., Martins Monteiro, M. ., & de Carvalho e Martins Martins, M. do C. . . (2015). DIFICULDADES NOS CUIDADOS AO RECÉM NASCIDO: REALIDADES DE PUÉRPERAS PRIMÍPARAS. Revista De Saúde Pública De Santa Catarina, 8(03). Recuperado de https://revista.saude.sc.gov.br/index.php/periodicorevista/article/view/154