Conhecimentos, Atitudes e Práticas de Agricultores Sobre a Prevenção do Câncer de Pele

Camila Bezerra de Araújo, Paula Christianne Gomes Gouveia Souto Maia, Gildenia Pinto Trigueiro, Nicoly Negreiros de Siqueira, Milena Nunes Alves de Sousa

Resumo


Objetivou-se avaliar os conhecimentos, atitudes e práticas de agricultores quanto a prevenção do câncer de pele. Para tanto, foi realizada pesquisa descritiva, com abordagem quantitativa, e realizada com agricultores do município de Caicó - RN. A amostra do tipo não probabilística por conveniência, foi determinada mediante critérios de inclusão e exclusão, assim, participaram do estudo 34 agricultores (77%), respondendo a um questionário, cujos dados foram analisados mediante estatística descritiva. Os resultados evidenciaram que 68% (n=23) dos agricultores eram do sexo masculino, 41% (n=14) na faixa etária superior a 60 anos e 68% (n=23) afirmaram ter ensino fundamental incompleto, 76% (n=26) com renda média de um a três salários. Considerando os conhecimentos sobre o câncer de pele, 70% (n=24) afirmaram conhecer sobre a neoplasia, 56% (n=19) desconhecem os sinais e sintomas e 68% (n=23) disseram possuir entendimento sobre as medidas preventivas, mas 59% (n=20) afirmam fazer uso incompleto ou não utilizar nenhuma proteção contra exposição solar. Ainda, dos entrevistados, 65% (n=22) passam mais de seis horas expostos a radiação solar. Em relação aos casos de câncer na família, 59% (n=20) apontaram ter casos de neoplasia entre membros da família. Concluiu-se que os agricultores tinham conhecimentos sobre o câncer de pele e adotavam medidas preventivas, embora existam fatores de risco como a hereditariedade e a cor da pele, mais susceptível a doença.

 


Palavras-chave


Prevenção primária; Informação e comunicação em saúde; Câncer de pele; Saúde do trabalhador rural.cultor.

Texto completo:

PDF


Essa revista é melhor visualizada no navegador MOZILLA FIREFOX.

ISSN: 2175-1323 - R. Saúde públ. Santa Cat. Florianópolis, Santa Catarina - Brasil