A Relação e a Interação dos Usuários do Serviço de Saúde de um Município de Pequeno Porte do Estado de Santa Catarina com as Medicações Psicotrópicas

Maria Luiza Zapelini, Sérgio Luíz Sanceverino

Resumo


Esta pesquisa visou compreender a forma como os usuários da saúde mental, os quais são atendidos no ambulatório de psicologia do município de Tijucas interagiam com as medicações que lhes eram prescritas pelos especialistas da área clinica. Teve como objetivo geral a identificação, a relação e a interação dos pacientes atendidos na Unidade de Atenção Básica do município de Tijucas, com as medicações psicotrópicas. Esta pesquisa é de caráter qualitativo, onde somente foram convocados os usuários acima de 18 anos e com mais de dois anos de tratamento ambulatorial. Os usuários foram entrevistados com o auxilio de um questionário, com perguntas já previamente elaboradas e também utilizou-se na coleta de dados um gravador de voz que auxiliou na apreensão das respostas dos entrevistados de forma mais fidedigna. Esta pesquisa teve por finalidade observar a existência do uso descontrolado e desinformado dessas medicações psicotrópicas, alertando aos pacientes juntamente aos seus familiares da necessidade de um controle das mesmas e de visitas periódicas ao clinico de referencia para seu tratamento. Como resultados observou-se que 57% procuraram o serviço, pois não tinham mais vontade de viver, 100% foram medicados na primeira consulta, 100% acreditam que sem a medicação não conseguirão melhorar. Foi proposto ao município como intervenção a elaboração de um grupo terapêutico para auxiliar tanto aos usuários quanto aos familiares sobre esse tema aqui levantado.


Palavras-chave


Psicotrópicos; Saúde mental; Participação familiar.

Texto completo:

PDF () PDF


Essa revista é melhor visualizada no navegador MOZILLA FIREFOX.

ISSN: 2175-1323 - R. Saúde públ. Santa Cat. Florianópolis, Santa Catarina - Brasil